"Um indício de que nos tornamos vítimas do auto-engano é se ficarmos irados quando nossas crenças são questionadas. Em vez de ficarmos irados, é sábio manter a mente aberta e escutar com atenção o que outros dizem - mesmo quando temos certeza de que a nossa opinião está certa. - A Sentinela de 15 de julho de 2003, p.22

sábado, 22 de setembro de 2012

Quem era Jesus afinal?

Não se pode negar a importância de Jesus Cristo, o cristianismo é a maior religião do planeta em numero de adeptos, pelo menos 1/3 da população mundial são cristãos, o cristianismo bem como outras religiões não cristãs tem dado esperança e transformado pessoas para melhor. 

Mesmo assim não há unanimidade de opinião sobre quem foi Jesus. 

Nos primeiros séculos não havia consenso sobre quem foi Jesus, um exemplo disto são os ebionitas que praticavam o cristianismo original, eles enfatizavam a natureza humana de Jesus, como filho carnal de Maria e José, que teria se tornado filho de Deus por ocasião de seu batismo. http://pt.wikipedia.org/wiki/Ebionismo

Passados mais de 2.000 anos, ainda não há consenso sobre quem foi Jesus:

a) Alguns muito religiosos como os islâmicos e judeus, crêem que ele foi um grande homem, profeta e rabi.
b) Alguns grupos pequenos de cristãos como as Testemunhas de Jeová crêem que ele é o filho de Deus, um anjo.
c) A esmagadora maioria dos cristãos crêem que ele seja o próprio Deus, fazendo parte de uma trindade.

Quem foi Jesus Afinal, homem, filho de Deus ou Deus?

Só existe um lugar onde se pode pesquisar a biografia de Jesus, são os evangelhos de Marcos, Mateus, Lucas e João. Mas é importante lembrar que: 1) a intenção destes textos é fazer propaganda do cristianismo, 2) os evangelhos não foram escritos por testemunhas oculares, foram escritos a partir dos anos 70 EC, décadas depois da morte de Jesus, e foram contaminados pela fé e por disputas religiosas. 

Por isso seria importante a analise dos evangelhos começando pelo mais velho até o mais recente. Que tal fazermos uma analise dos evangelhos por ordem cronológica de escrita?

Se há algo em que há unanimidade entre estudiosos e muitos religiosos, é a ordem cronológica da escrita dos evangelhos.
1) Primeiro a ser escrito: Evangelho de Marcos.
2) Escritos em período intermediário: Evangelhos de Mateus e Lucas.
3) Ultimo a ser escrito: Evangelho de João.

Será que há consenso nos evangelhos sobre quem foi Jesus Cristo? Vejamos.

Quem foi Jesus segundo o Evangelho de Marcos?

Em Marcos Jesus é retratado apenas como um homem que se tornou o filho de Deus apenas por ocasião do batismo, quando Deus disse: “Este e o meu filho amado, a quem tenho aprovado”, e que depois pregou o reino de Deus, realizou milagres e foi morto. Em Marcos Jesus não foi concebido pelo Espírito Santo e nem foi ressuscitado; como outros no passado, ele foi escolhido por Deus como profeta e fazedor de milagres.

Obs. : o Evangelho original de Marcos não continha o relato da ressurreição, vejam abaixo porque.

O Dr. Lobegott Friedrich Konstantin Von Tischendorf foi um dos estudiosos cristãos conservadores mais eminentes do século dezenove. Também foi um dos defensores mais leais e inflexíveis da Trindade que a história conheceu. Uma das suas grandes realizações foi a descoberta do manuscrito bíblico conhecido pela humanidade mais antigo, o “Codex Sinaiticus”, do monastério de Santa Catarina no Monte Sinai. Uma das descobertas mais devastantes feitas a partir do estudo desse manuscrito do século quatro foi que o Evangelho de Marcos terminava originalmente nos versos 16:8 e não no verso 16: 20 como acontece hoje. Em outras palavras, os últimos 12 versos (Marcos 16:9 a Marcos 16:20) foram “injetados” pela igreja na Bíblia em algum momento depois do século 4.
http://www.jesusite.org/contradicoes5.htm

Resumindo: no evangelho de Marcos, o primeiro escrito, Jesus não foi concebido de forma milagrosa pelo espírito santo, não cumpriu nenhuma profecia, não foi ressuscitado, foi apenas um homem/profeta escolhido e abençoado por Deus.

Quem foi Jesus segundo os evangelhos de Mateus e Lucas?

Os evangelhos de Mateus e Lucas usaram cerca de 95% do material de Marcos, mas fizeram muitos acréscimos, Jesus passa a ter um poder maior, como ressuscitar pessoas mortas a vários dias.
Diferente de Marcos, em Mateus e Lucas Jesus foi concebido pela intervenção do Espírito Santo, assim era o filho de Deus desde a concepção, e não apenas por ocasião do batismo, todos os detalhes de sua vida e morte cumpria profecias, foi ressuscitado e glorificado.
Mas os capítulos que tratam do nascimento, não mencionam que Jesus teve uma vida anterior no céu, mencionam apenas que ele foi concebido pelo Espírito Santo. 

Veja agora dois dos muitos exemplos de como a história original de Jesus contada em Marcos, foi recontada de forma exagerada.
Marcos 5:1 a 3 – No pais dos Gedarenos, Jesus cura 1 homem possuído.
Mateus 8: 28 – Repete o mesmo episódio, mas afirma que Jesus cura 2 homens possuídos.
Marcos 10: 46 a 7 – Em Jericó Jesus cura 1 cego.
Mateus 20: 29 a 31 – Repete o mesmo episódio, mas afirma que Jesus cura 2 cegos.

Usando o evangelho de Marcos como fonte de informação, os evangelhos de Mateus e Lucas recontaram a história de Jesus, dando a ele mais status, ele deixou de ser um homem escolhido por Deus para se tornar o filho de Deus, criado diretamente pelo pai, e depois de morrer foi ressuscitado e glorificado. 

Quem foi Jesus segundo o evangelho de João?

João não se preocupa com genealogias, também não diz que Jesus era o filho de Deus ou que foi concebido pelo Espírito Santo, como fizeram Mateus e Lucas, o último evangelho vai além. Comparado com a simplicidade dos outros 3, o evangelho de João tem uma teologia avançadíssima.
O problema é que Atos 4: 13, diz que João era um homem iletrado e comum, por isso estudiosos sustentam que João não escreveu o evangelho que leva o seu nome. Assim o evangelho de João só pode ser de autoria de um ou mais teólogos muito bem preparados. 
Neste evangelho Jesus tinha uma pré-existência no céu, João 1: 14 – “De modo que a palavra se tornou carne e residiu entre nós.” No evangelho de João Jesus deixa de ser o filho de Deus e passa a ser o próprio Deus e isto logo no inicio, João 1:1 - “No principio era a palavra, e a palavra estava com Deus e a palavra era Deus.” Neste evangelho Jesus também é o criador de tudo que existe, João 1:3 – “Todas as coisas vieram a existência por intermédio dele.” 
Em João Jesus e colocado no lugar mais alto que possa existir, ele é DEUS.

Conclusão

A medida que o tempo passou e o cristianismo foi prosperando, o status de Jesus acompanhou este progresso, em Marcos ele era apenas um homem e profeta, algum tempo depois nos livros de Mateus e Lucas ele já é o filho de Deus e finalmente em João ele é Deus, mas como também existia o Deus pai, ele passou a fazer parte da trindade.

É possível que Jesus nunca tenha ensinado que foi concebido pelo espírito santo, ou que era Deus, naquela época os imperadores romanos como o Augusto Cesar era considerado como filho de Deus, como divino, os cristãos viram a necessidade de elevar Jesus a uma posição semelhante?

2 comentários:

  1. Não entendo o sentido de toda essa discussão a respeito da concepção de Jesus, se Ele é Deus ou não, se morreu em Cruz ou Estaca,ou se de fato morreu mesmo virgem. Para mim nada disso tem importância.O que sempre me importou foi a Sua figura, Seus ensinamentos, a mensagem de amor.Seja quem Ele tiver sido, não diminui em nada o grande ser que Ele foi e é.
    N.

    ResponderExcluir