"Um indício de que nos tornamos vítimas do auto-engano é se ficarmos irados quando nossas crenças são questionadas. Em vez de ficarmos irados, é sábio manter a mente aberta e escutar com atenção o que outros dizem - mesmo quando temos certeza de que a nossa opinião está certa. - A Sentinela de 15 de julho de 2003, p.22

quinta-feira, 19 de abril de 2012

As principais contradições da Bíblia em Gênesis



Vemos em toda a bíblia certas coisas como catástrofes, fenômenos inexplicáveis, maldições, criaturas incríveis, monstros, profecias, milagres, mas muitas vezes absurdos grotescos. Nesta serie de matérias farei uma seleção de absurdos que eu não consigo achar sequer uma explicação plausível. Vamos ver algumas questões que desafiam até aos mais sábios:



No primeiro dia Deus cria a luz e a separa da escuridão, o dia da noite, mas ele ainda não criou os objetos que produzem luz (o sol e as estrelas) até o quarto dia:



E disse Deus: Haja luz; e houve luz.
E viu Deus que era boa a luz; e fez Deus separação entre a luz e as trevas.
E Deus chamou à luz Dia; e às trevas chamou Noite. E foi a tarde e a manhã, o dia primeiro.
Gn 1:3-5

E disse Deus: Haja luminares na expansão dos céus, para haver separação entre o dia e a noite; e sejam eles para sinais e para tempos determinados e para dias e anos.
E sejam para luminares na expansão dos céus, para iluminar a terra; e assim foi.
E fez Deus os dois grandes luminares: o luminar maior para governar o dia, e o luminar menor para governar a noite; e fez as estrelas.
E Deus os pôs na expansão dos céus para iluminar a terra,
E para governar o dia e a noite, e para fazer separação entre a luz e as trevas; e viu Deus que era bom.
E foi a tarde e a manhã, o dia quarto.
Gn 1:14-19



Como pode haver "a tarde e a manhã" no primeiro dia se não havia nenhum sol para marcá-los?

E Deus chamou à luz Dia; e às trevas chamou Noite. E foi a tarde e a manhã, o dia primeiro.
Gn 1:5


Deus gasta 1/6 do esforço criativo dele (o segundo dia) trabalhando em um firmamento sólido. Esta estranha estrutura que Deus chama céu, pretende separar as águas mais altas das águas mais baixas:

E disse Deus: Haja uma expansão no meio das águas, e haja separação entre águas e águas.
E fez Deus a expansão, e fez separação entre as águas que estavam debaixo da expansão e as águas que estavam sobre a expansão; e assim foi.
E chamou Deus à expansão Céus, e foi a tarde e a manhã, o dia segundo.
Gn 1:6-8


As plantas são criadas no terceiro dia, antes de lá existir um sol para realizar a fotossíntese. Note, entretanto, que Deus deixa a terra produzir as plantas, em lugar de criá-las diretamente. Talvez o Gênesis não seja assim tão anti evolução afinal de contas.



E disse Deus: Produza a terra erva verde, erva que dê semente, árvore frutífera que dê fruto segundo a sua espécie, cuja semente está nela sobre a terra; e assim foi.
Gn 1:11


Eis que vos tenho dado toda erva... e toda árvore... E a todo animal da terra." Uma vez que muitas plantas evoluíram para proteger-se contra animais que gostariam de comê-las, o conselho de Deus é mais que imprudente. Você diria a seus filhos para ir ao jardim e comer as plantas que encontrassem? Claro que não. Então, você está sendo melhor e mais inteligente do que Deus:



E disse Deus: Eis que vos tenho dado toda a erva que dê semente, que está sobre a face de toda a terra; e toda a árvore, em que há fruto que dê semente, ser-vos-á para mantimento.
Gn 1:29


"Deus... descansou." Até Deus se cansa às vezes. Eu imagino como ele deve se cansar todo dia recebendo milhões de orações e pedidos.



E havendo Deus acabado no dia sétimo a obra que fizera, descansou no sétimo dia de toda a sua obra, que tinha feito.
Gn 2:2


A árvore da vida... e a árvore da ciência do bem e do mal." Deus criou duas árvores mágicas: a árvore da vida e a árvore do conhecimento. Comer da primeira, você viverá para sempre, comer da segunda, você morrerá no mesmo dia. De qualquer maneira, Adão comeu da árvore do conhecimento e viveu por mais 930 anos. Mas ele nunca teve a chance de comer da árvore da vida. Deus o impediu de comê-la para que ele não se tornar-se um deus, e viver para sempre.



E o SENHOR Deus fez brotar da terra toda a árvore agradável à vista, e boa para comida; e a árvore da vida no meio do jardim, e a árvore do conhecimento do bem e do mal.
Gn 2:9

Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás.
Gn 2:17

Então disse o SENHOR Deus: Eis que o homem é como um de nós, sabendo o bem e o mal; ora, para que não estenda a sua mão, e tome também da árvore da vida, e coma e viva eternamente,
Gn 3:22

E foram todos os dias que Adão viveu, novecentos e trinta anos, e morreu.
Gn 5:5


Uma serpente inteligente ("a mais astuta" de Deus) conversa com Eva sobre árvores, morte e o conhecimento do bem e do mal. Ela persuade Eva a comer da fruta proibida e na primeira mordida, Eva se torna culpada:



Ora, a serpente era mais astuta que todas as alimárias do campo que o SENHOR Deus tinha feito. E esta disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda a árvore do jardim?
Gn 3:1


Deus passeia e conversa (com ele mesmo?) no jardim, e busca Adão e Eva (que se esconderam), como assim se esconderam? Será que nesse tempo Deus não tinha o dom da onipresença?



E ouviram a voz do SENHOR Deus, que passeava no jardim pela viração do dia; e esconderam-se Adão e sua mulher da presença do SENHOR Deus, entre as árvores do jardim.
E chamou o SENHOR Deus a Adão, e disse-lhe: Onde estás?
Gn 3:8-9


Deus amaldiçoa a serpente. De agora em diante ela rastejará sobre o seu ventre e comerá pó. E como ela conseguia se mover antes? pulando sobre o rabo, talvez? E, além do mais, cobras não comem pó:



Então o SENHOR Deus disse à serpente: Porquanto fizeste isto, maldita serás mais que toda a fera, e mais que todos os animais do campo; sobre o teu ventre andarás, e pó comerás todos os dias da tua vida.
Gn 3:14


Deus amaldiçoa a terra e faz espinhos e cardos crescerem. Antes disto, de acordo com a (falsa) história do Gênesis, as plantas não tinham nenhuma defesa natural:



E a Adão disse: Porquanto deste ouvidos à voz de tua mulher, e comeste da árvore de que te ordenei, dizendo: Não comerás dela, maldita é a terra por causa de ti; com dor comerás dela todos os dias da tua vida.
Espinhos, e cardos também, te produzirá; e comerás a erva do campo.
Gn 3:17-18


Deus mata alguns animais e faz alguns casacos de pele para Adão e Eva:



E fez o SENHOR Deus a Adão e à sua mulher túnicas de peles, e os vestiu.
Gn 3:21


Deus expulsa Adão e Eva do jardim antes que eles tivessem a chance de comer daquela outra árvore - a árvore de vida. Deus sabe que se eles o fizessem se tornariam "como um de nós" e viveriam eternamente. Um pensamento realmente assustador para um deus inseguro:



Então disse o SENHOR Deus: Eis que o homem é como um de nós, sabendo o bem e o mal; ora, para que não estenda a sua mão, e tome também da árvore da vida, e coma e viva eternamente,
O SENHOR Deus, pois, o lançou fora do jardim do Éden, para lavrar a terra de que fora tomado.
E havendo lançado fora o homem, pôs querubins ao oriente do jardim do Éden, e uma espada inflamada que andava ao redor, para guardar o caminho da árvore da vida.
Gn 3:22-24

Fonte: http://teoriaalien.blogspot.com.br/2012/04/biblia-proibida-absurdos.html?showComment=1334872862373#c2681730468383134475

3 comentários:

  1. Submetidas as alegadas contradições da Bíblia à análise científica proporcionada pela maquinaria pesada da semântica, da sintaxe, da pragmática e da lógica, verifica-se que nenhuma dessas «contradições» é genuína. Todas são fabricadas pelo intérprete, pelo tradutor ou por ambos, através de uma operação ou manobra de acréscimo de texto que não consta no texto da Bíblia.
    Muitas dessas pessoas que dizem que a Bíblia tem contradições nem sequer sabem o que é a Bíblia. A Bíblia é um livro em língua hebraica (com alguns trechos em aramaico) e em língua grega, composto de contributos de cerca de quarenta escritores, começando por Moisés, no ano 1513 antes da nossa era, e terminando em João, no ano 98 da nossa era. Designemos por A esse livro, a Bíblia. Acontece que o objeto A tem sido traduzido para muitas línguas. Designemos por X uma qualquer das traduções de A. Observe-se que A e X são objetos distintos. Por exemplo, todo o X é posterior a A e nenhum X é escrito, nas mesmas passagens, na língua hebraica, aramaica e grega do tempo de A; A pode existir sem existir X, mas X não pode existir sem existir A, e A é absolutamente independente de X, sendo que nada do que afeta X afeta A. Ora, a simples inspeção ao site da Bíblia do Cético Comentada revela que aí se não trata do objeto A, a Bíblia. Aí se trata de um objeto X, que é distinto. A Bíblia não é um livro em língua portuguesa, nem em língua inglesa. Nestas línguas o que existe são traduções. Note-se até que há pelo menos uma organização religiosa que traduziu a Bíblia para a língua portuguesa e que, em vez de intitular essa obra Bíblia, ou Bíblia Sagrada ou Escrituras Sagradas, intitulou-a Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas. É uma tradução. Assim, as pessoas sabem o que têm em mãos. Por conseguinte, alguém que queira demonstrar uma inconsistência ou contradição na Bíblia tem de falar da Bíblia. Se, em vez disso, falar de uma tradução e, portanto, se passar de eventuais contradições, erros ou incongruências do objeto x para daí se concluir que existem contradições, erros e incongruências no objeto a, que é distinto de x e anterior a x, comete um vício lógico referenciado na literatura da especialidade como «falácia do espantalho», e seus argumentos não merecem a mínima credibilidade. Os proponentes e defensores de tais argumentos viciados pela falácia do espantalho expõem-se ao ridículo perante a comunidade científica, filosófica e acadêmica.

    ResponderExcluir
  2. Todo o raciocínio em que se baseia a Bíblia do Cético Comentada assenta nesta falácia do espantalho e, por isso, de uma só vez, fica demonstrado que a Bíblia do Cético Comentada nenhuma prova faz quanto a sequer uma qualquer alegada contradição de todas as alegadas contradições da Bíblia. O fracasso é completo.
    Adicionalmente, algumas dessas pessoas que dizem que a Bíblia tem contradições nem sequer sabem o que é uma contradição. As contradições são problemas lógicos e não problemas literários. Convém recapitular o que é uma contradição. A ciência que estuda as contradições é a Lógica. De acordo com a Lógica, uma contradição é uma frase, proposição ou fórmula do género «este homem casado é solteiro», «aquele animal é todo preto e todo branco», «desenhei um triângulo quadrado» ou «a Bíblia é divinamente inspirada e a Bíblia não é divinamente inspirada» ou «é proibido matar e não é proibido matar». Acresce que – como lembra a Enciclopédia de Termos Lógico-Filosóficos (de João Branquinho/Desidério Murcho, sob a entrada «Contradição» –, só existe contradição quando uma frase, proposição ou fórmula «é falsa em todas as interpretações», ou seja é falsa em todas as situações possíveis. Ora, as pessoas com conhecimentos científicos adequados sabem que a Bíblia não tem e não pode ter contradições, visto que, para isso, seria necessário (1) selecionar pelo menos duas frases da Bíblia, (2) demonstrar que cada uma dessas frases só pode ser verdadeira numa única situação; (3) demonstrar que não existe nenhuma situação em que ambas as frases sejam verdadeiras. Simplesmente, é impossível fazer a demonstração de (2) e (3). Na verdade, a Lógica e a Matemática ensinam-nos que há coisas que não existem. Por exemplo, não existem quadrados redondos, nem existe um número maior que os outros todos, e não existe nem é possível descobrir ou inventar um calmante que excite as pessoas. Semelhantemente, a Lógica e a Matemática, em particular a Teoria dos Conjuntos, ensinam-nos que é impossível encontrar contradições na Bíblia. Tentar encontrar uma contradição na Bíblia é a mesma coisa que tentar encontrar um homem solteiro que seja casado. Esta é a segunda razão pela qual os proponentes e defensores da tese de que a Bíblia contém contradições se expõem ao ridículo perante a comunidade científica, filosófica e acadêmica.
    Assim, mesmo que a Bíblia do Cético Comentada analisasse a própria Bíblia – e não uma tradução –, afastando, deste modo, a falácia do espantalho, o seu fracasso em provar qualquer contradição da Bíblia é sempre completo e absoluto, como a Lógica o demonstra.

    ResponderExcluir
  3. Amigo tbm acredito em Deus. Sei que o autor do blog é meio polêmico. Mas me explica como Deus separou dia e noite sendo que dia precisa de sol(luminares) pra haver luz. Sendo que o sol (luminares) foi criado no quarto dia.

    ResponderExcluir